Visão sistêmica ou visão holística na gestão de pessoas?

Veja se sua empresa se adequa mais à visão sistêmica ou holística na gestão de pessoas e descubra a diferença entre os dois modelos neste artigo.
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

A visão sistêmica e a visão holística constituem metodologias que podem ser aplicadas na gestão de pessoas. Mas, no momento de optar por uma ou outra, podem surgir dúvidas sobre qual delas possui as características mais apropriadas para o contexto em que cada empresa se encontra. 

A visão sistêmica, por exemplo, se refere à gestão por processos. Nessa metodologia, procura-se compreender bem os processos e atividades e como eles interagem entre si. Dessa forma, é possível torná-los melhores. 

Nessa visão, os colaboradores da empresa entendem como suas respectivas funções se encaixam no processo geral da instituição. Além disso, possuem a percepção de que sempre podem aprimorar ou mudar sua atividade, ao notarem as causas, consequências e efeitos das suas ações.

No caso dos líderes e gestores, dentro da visão sistêmica, exercem a função de medir o desempenho desses processos, reconhecendo  o que tem agregado valor aos objetivos e serviços da empresa, os problemas do processo e também os pontos de melhorias. 

A divisão de tarefas presente nessa metodologia é defendida por seu potencial de permitir mais agilidade e produtividade nos processos. Isso se dá porque os funcionários conseguem se especializar na sua função e se concentrar nela, diferentemente do que acontece na visão holística.

O que é visão holística na gestão de pessoas? 

Na visão holística, há a análise do cenário integral da empresa. Nessa perspectiva, considera-se que cada colaborador tem uma função e importância na sua atividade, mas os processos específicos não são tratados individualmente. 

Em outras palavras, a visão holística considera que somente juntos os elementos da empresa conseguem formar um todo.

Com essa metodologia, os profissionais são tirados das suas especificidades e destacados no plano geral, o que permite mais foco em soluções e resultados. Assim, os processos dentro da instituição são vistos como uma linha fluida, que começa em uma função e segue até chegar no resultado final.

Na visão holística, os funcionários tendem a ser mais motivados, já que o gestor consegue estabelecer estratégias para isso, sugerindo, por exemplo, uma troca de tarefas. Dessa forma, as pessoas mudam suas funções umas com as outras, saem da rotina, conhecem outras áreas e conseguem enxergar o processo inteiro - e a relevância de cada parte dentro dele.

A motivação dos funcionários pode se dar a partir dessa ação de troca de tarefas. No caso da rotinização isso não acontece, já que os colaboradores acabam se concentrando somente em uma atividade e não têm a visão completa de todo o sistema. 

Qual metodologia escolher no RH de uma empresa?

Para escolher entre a visão sistêmica e a visão holística para o RH de uma empresa deve-se pensar em qual metodologia se adequa ao negócio de forma natural. Mas é sempre muito importante pensar que, na gestão de pessoas, deve haver humanização.

Nesse sentido, é preciso levar em conta a vida dos funcionários, o seu bem-estar e sua evolução. Observando isso é possível fornecer benefícios, programas educacionais e ações para manter seu conforto. E, ainda, é possível desenvolver sua equipe, levando, consequentemente, à maior produtividade. 

Para garantir que a visão sistêmica ou holística está funcionando a longo prazo é preciso acompanhar o rendimento da equipe; ou seja, controlar o desempenho dos funcionários. Isso inclui o já citado bem-estar e, também, a mensuração dos níveis de produtividade. 

Criando metas e acompanhando os resultados da empresa e dos colaboradores individualmente é possível enxergar se a metodologia escolhida é apropriada ao seu estilo de negócio ou se vale a pena fazer outros testes. 

Além disso, a mensuração viabiliza o entendimento sobre o real impacto que a visão adotada promove na qualidade de vida dos funcionários. Afinal, só assim o bom rendimento é, de fato, sustentado. 

Para mais, qualquer que seja a estratégia adotada, é necessário utilizar ferramentas que automatizem determinadas ações. Um processo automatizado pode tornar a gestão mais fluida e evitar diversos gargalos causados por erro humano. Um bom exemplo dessas ferramentas é a folha de ponto simplificada, feita por aplicativo. 

Esse recurso propõe o controle da jornada de trabalho de maneira assertiva e descomplicada. O aplicativo da QRPOINT, por exemplo, apresenta as funcionalidades necessárias para controlar o ponto dos seus colaboradores, incluindo horas trabalhadas, adicionais, faltas e demais informações que precisam ser apuradas a cada mês.

Utilizar um aplicativo para essa finalidade também é uma forma de facilitar a rotina do gestor, que consegue acompanhar o rendimento das estratégias e metodologia adotada conforme elas são implementadas.

Gostou da ideia? Então revolucione sua empresa com a QRPOINT! 

Assine nossa Newsletter para ficar atento às informações e às notícias sobre gestão de pessoas. 

Tecnologia que poupa tempo e dinheiro para a sua empresa.

O que tá esperando? Comece a usar agora mesmo!