Processo seletivo online: como fazer?

Principalmente em tempos onde a recomendação é ficar em casa, as empresas tem se readaptado, buscando realizar o processo seletivo online.
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Principalmente em tempos onde a recomendação é ficar em casa, devido à pandemia da Covid-19, as empresas tem se readaptado, buscando realizar o processo seletivo online. Existem muitas vantagens em organizar e seleção de candidatos a distância, como a possibilidade de atingir um número maior de talentos e fazer mais entrevistas em um mesmo dia.

A tecnologia possibilita o uso de diversas ferramentas que facilitam o processo, como os testes online e a divulgação das vagas por redes sociais. Muitos negócios já aderiram à modalidade, contando com um número bem maior de candidaturas.

As vantagens podem ser percebidas tanto pela empresa quanto pelo candidato. Dentre elas, estão a redução de custos para o inscrito, que não precisa se deslocar até o local e para a empresa, que não precisa preocupar-se com a manutenção da infraestrutura.

Ambos ganham na otimização do tempo, permitindo que o organizador se dedique às demais tarefas administrativas da empresa. Já o candidato, pode dedicar-se a estudar mais e preparar-se melhor para a entrevista e o período de testes.

Com a oportunidade de levar todo processo a distância, também é possível que candidatos de outros estados participem das etapas. Caso a vaga não seja para a modalidade home office, é importante deixar claro sobre a necessidade da mudança de endereço.

Como fazer o processo seletivo online? 

Tudo começa com a divulgação, que deve ser feita apenas depois de certificar-se de que todas as informações foram bem estruturadas, evitando que os dados permitam interpretações diversas. Não basta postar a vaga no site da empresa, também é preciso buscar notoriedade ao evento.

Nesse caso, as redes sociais são grandes aliadas, principalmente pela facilidade de compartilhamento e possível viralização do conteúdo. Também é indicado oferecer a oportunidade em sites de emprego, como o Indeed, Vagas.com e Glassdoor.

Depois de recebidos os currículos, é hora da triagem dos candidatos. Uma vez que a inscrição ocorreu online, é possível acrescentar aos campos de cadastro informações extras, como o Linkedin. A ferramenta é muito útil para acompanhar a trajetória profissional dos candidatos e entender posicionamentos e cultura.

O ideal é ter todo o teste separado por etapas, as quais os candidatos também podem ser informados, partindo da divulgação, inscrição, triagem, provas online, entrevistas por vídeo chamada ou presenciais e, por fim, a convocação para o trabalho.

A etapa de testes online é fundamental para destacar os candidatos que possuem maior aderência às características solicitadas. Na oportunidade, é possível testar as habilidades do candidato em conhecimentos específicos, mapear o perfil comportamental e aplicar testes psicológicos.

Antes da entrevista, os candidatos devem ser previamente avisados sobre qual será o software utilizado para o bate-papo, permitindo que ele se prepare para participar. Deixe toda a equipe de TI ciente da seletiva, caso algum problema técnico surja durante a conversa.

Quais ferramentas usar? 

Evite o envio de mensagens por aplicativos informais, como o WhatsApp e priorize o uso do e-mail, registrando toda a troca de informações entre a empresa e o candidato. Também é possível criar automatizações durante o processo, sem que o pessoal de RH tenha que enviar respostas manualmente.

Sempre que uma candidatura for realizada ou um teste for finalizado, o disparo de e-mail com o próximo passo é automático. A ferramenta agiliza  o processo de triagem e avanço para as próximas fases, além de manter os inscritos informados e menos ansiosos.

Em bancos de cadastros, também é possível selecionar os documentos a partir de palavras-chave, filtrando os currículos e visualizando apenas os que obedecem aos pré-requisitos da vaga. A ação poupa tempo de triagem e seleciona talentos com maior assertividade.

Também existem softwares de análise comportamental que agilizam o trabalho da equipe de RH, sem que os candidatos sejam entrevistados individualmente. Basta escolher qual o programa que melhor se adequa às questões mais importantes pela empresa e usá-lo para a pesquisa.

Como deixar o candidato confortável? 

Ao contrário do que muitos entrevistadores pensam, não é ideal deixar o candidato apreensivo durante o processo, mostrando severidade e promovendo um ambiente com ar opressor durante a seletiva. Quanto mais à vontade o candidato estiver, maiores serão as chances de que ele mostre suas reais habilidades e sem timidez, deixando evidente sua personalidade.

Além disso, o nome da empresa será levado à público ao contar a experiência vivenciada no local. Portanto, é importante que os gestores da companhia sejam orientados a não agirem de modo intimidador e demonstrarem a cultura da empresa por meio das falas.

O bom clima deve ser construído durante a reunião, sem forçar respostas para perguntas pessoais ou agir como se já soubesse tudo sobre o candidato apenas lendo o currículo. O processo seletivo online tem tudo para deixar de ser apenas tendência e estabelecer-se em boa parte das etapas de seleção de novos talentos. No Blog da QRPOINT, você encontra mais dicas como essa. Além disso, pode descobrir mais táticas de adaptação às novidades do RH, principalmente com as mudanças trazidas pela pandemia do novo coronavírus.

Tecnologia que poupa tempo e dinheiro para a sua empresa.

O que tá esperando? Comece a usar agora mesmo!