Endomarketing: como promover engajamento dentro da empresa?

Endomarketing é uma estratégia fundamental para promover engajamento dentro da empresa e fazer com que o ambiente de trabalho conecte os colaboradores ao bem-estar e qualidade de vida.
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Endomarketing é uma estratégia fundamental para promover engajamento dentro da empresa e fazer com que o ambiente de trabalho conecte os colaboradores ao bem-estar e qualidade de vida.

A técnica é cada vez mais valorizada. Afinal, estamos em um contexto em que se fala muito sobre saúde mental e outros pontos relacionados, como estresse, ansiedade, excesso de trabalho e preocupação.

Quem quer aumentar a motivação e bem-estar das equipes, evitando o turnover, pode se beneficiar do endomarketing para engajar os colaboradores em propósitos coletivos.

Os detalhes do endomarketing

Endomarketing, também chamado de marketing interno, é uma estratégia institucional, focada em ações internas, que visa melhorar a imagem da corporação entre aqueles que trabalham para ela. Não raramente, ações de endomarketing são percebidas como um cuidado maior com os funcionários.

Tudo isso têm o objetivo de gerar mais motivação, deixando os colaboradores comprometidos com a organização e fazendo com que, de fato, “vistam a camisa” do time.

Trata-se de uma estratégia importante para manter o ambiente mais agradável, com clima organizacional saudável. Tais aspectos causam bem-estar e podem ser cruciais tanto na manutenção quanto no aumento da produtividade

Para mais, o endomarketing também pode influenciar o ambiente externo, incluindo os stakeholders, que passam a enxergar a empresa de forma humanizada. Assim, podemos dizer que a técnica também pode auxiliar na atração e retenção de novos talentos.

Isso sem contar a redução do turnover, que diz respeito ao índice de rotatividade de funcionários insatisfeitos. 

Como implementar o endomarketing?

As estratégias de endomarketing, por estarem relacionadas ao ambiente interno da empresa, devem fazer sentido aos colaboradores internos, acima de tudo. Nesse sentido, o RH exerce um papel de grande relevância. 

É o RH quem investiga - através de pesquisas de satisfação, entrevistas ou observação participante - como tem sido a relação e a satisfação dos funcionários em relação à organização. Esses dados são imprescindíveis para que se estabeleçam ações  capazes de ligar o colaborador ao propósito central da empresa. 

Algumas dessas ações são:

  • Política de benefícios para os colaboradores;
  • Plano de carreira;
  • Palestras motivacionais;
  • Elogios e feedbacks positivos e construtivos;
  • Treinamentos para capacitação;
  • Informes (newsletter) internos. 

Os treinamentos, além de fornecerem capacitação, fazem com que os funcionários se sintam motivados pelo aprendizado, aumentem a interação entre colegas de setor e se engajem mais nas suas atividades. Ademais, com eles, as equipes compreendem melhor suas responsabilidades e se envolvem mais com os valores da corporação.

Contudo, nem sempre o endomarketing, por si só, é o suficiente para fazer com que o colaborador se adeque e alinhe à cultura da empresa. E, por isso, a adequação precisa começar ainda no processo seletivo, através de uma escolha assertiva, que leve em consideração pessoas que tenham afinidade com a cultura da organização. 

Processo seletivo assertivo: como fazer? 

As ações de endomarketing podem fortalecer a imagem da empresa também em ambientes externos - o que potencializa a identificação de potenciais talentos à sua cultura organizacional. Em outras palavras, o endomarketing de hoje pode melhorar o processo seletivo de amanhã.

Mas, para aprimorar ainda mais a seleção de colaboradores, é preciso planejar o processo de forma detalhista e com bastante cautela. Para verificar as competências do profissional, pode-se aplicar testes práticos e/ou teóricos e até mesmo uma etapa de resolução de um case da empresa, dependendo do cargo.

Entretanto, para identificar o nível de afinidade do candidato com a empresa, e garantir a contratação do perfil certo, é necessário realizar testes complementares que avaliem as habilidades comportamentais dos candidatos.

Um exemplo desse tipo de teste é a dinâmica em grupo, que avalia a capacidade do candidato de se relacionar, além de identificar reações diante de possíveis obstáculos e mudanças.

Outra possibilidade é o teste comportamental, que pode ser feito de maneira simplificada e precisa com ajuda da tecnologia. Um software de mapeamento de perfil, por exemplo, pode ser de grande ajuda nessa etapa, já que esse tipo de teste também analisa se o profissional atende às expectativas da empresa a nível pessoal. 

Lembre-se: tudo o que você fizer em prol dos colaboradores, desde o dia 1 até o último ponto batido, reflete positivamente a imagem da empresa em sua comunidade ou nicho de mercado. Portanto, invista em práticas de RH que possam auxiliar na colheita de benefícios.

Gostou dessas dicas? Você pode conferir outras acessando nossos conteúdos ricos e exclusivos no nosso blog. Acesse aqui!

Tecnologia que poupa tempo e dinheiro para a sua empresa.

O que tá esperando? Comece a usar agora mesmo!